Márcio Passos de Albuquerque

De Flapédia
Ir para: navegação, pesquisa
Última Atualização do Artigo: 17 de Dezembro de 2015
Último Jogo do Flamengo FlaxPalmeiras.JPG (6 de Dezembro de 2015)

Conteúdo

Biografia

Emerson

Márcio Passos de Albuquerque, mais conhecido como Emerson (Nova Iguaçu - RJ, 6 de Dezembro de 1978) é um atacante, flamenguista confesso, que pautou sua brilhante carreira entre o futebol japonês e também no Qatar, chegando ao Flamengo, clube do seu coração, no ano de 2009 para uma curta e badalada passagem.

Carreira

Antes do Flamengo

Emerson, como é conhecido o jogador, apesar de flamenguista de coração, foi começar sua carreira atuando pelo São Paulo, nos idos de 1998. Sua passagem pelo clube paulista, no entanto, foi breve, e apenas um ano após se profissionalizar, o jogador foi vendido para o Consadole Sapporo do Japão.

Garoto pobre, de infância sofrida, Emerson poderia ter sido apenas mais um dos tantos jogadores que tem uma oportunidade no oriente, mas que acabam encerrando a carreira prematuramente, até mesmo por falta de chances. A trajetória deste atacante, porém, foi bastante diferente.

Jogador diferenciado, rápido, habilidoso, e dono de todas outras qualidades que um bom centroavante precisa ter, Emerson não demorou á conquistar o Japão e, em pouco tempo, era ídolo na terra do Sol Nascente, de tal forma que, o próprio jogador, em entrevista ao canal especializado Sportv, declarou ter se utilizado de uma peruca para evitar o assédio nas ruas de Tóquio.

Depois de defender três times japoneses, sendo o último, o Urawa Red Diamonds, e conseguir diversos prêmios de melhor jogador do Campeonato Japonês, Emerson aceitou uma proposta generosa do Al Sadd e rumou para o Qatar e lá, assim como no Japão, marcou época mostrando além da sua desenvoltura nas quatro linhas, um comportamento extra-campo invejável, digno apenas de grandes craques.

No ano de 2007, o atacante aceitou uma proposta para finalmente atuar pelo disputado e observado futebol europeu, mais precisamente pelo clube francês do Rennais. Entretanto, um ano após, voltou ao Al Sadd, do Qatar, país que já era uma espécie de segunda pátria de Emerson. A prova disso é que o jogador foi naturalizado por lá, e até acabou se envolvendo em uma confusão em meados de 2008. É que o seu sucesso no Qatar era tanto, que o atleta acabou sendo convocado para disputar as eliminatórias asiáticas para a Copa do Mundo de 2010, todavia, como Emerson houvera atuado em uma partida pela Seleção Brasileira Sub-20 anos antes, não podia ter jogado pelo Qatar, de forma que sua atuação, por pouco não rendeu a desclassificação do país das eliminatórias.

A passagem pelo Flamengo

Emerson comemora gol pelo Fla

Em 2009, após o término do compromisso com o Al Saad, Emerson foi em busca de um sonho de infância - o de jogar pelo Flamengo, time para o qual torcia desde criança. Naquela ocasião, o jogador já houvera tentado a transferência para o Fla em outras três ocasiões, porém fracassara em todas as tentativas, de forma que esta teria que ser enfim a sua chance.

Quando o nome do jogador passou á ser ventilado na mídia especializada eram comuns as desconfianças acerca do seu rendimento. O fato é que Emerson, apesar de ídolo no oriente, raramente era citado no Brasil e, pouquíssimos aficionados pelo mundo da bola conheciam seu verdadeiro potencial. Além disso, sua chegada no clube era considerada de risco, já que o Flamengo perdera traumaticamente uma vaga na final da Taça Guanabara 2009 para o pequeno Resende e o clima na Gávea não era dos melhores, tanto psicologicamente, quanto financeiramente. Vale ressaltar, que ao deixar o Qatar, Emerson era o jogador mais bem pago daquele país.

O que se viu, em seguida, foi uma verdadeira aula de amor ao manto rubro-negro. Emerson abriu mão de uma quantia irrecusável de dinheiro para continuar no Qatar, e mais, aceitou um salário quase que simbólico em comparação com os padrões do país árabe, tudo isto em nome da paixão e desejo de defender o clube Mais Querido do Brasil.

Agregador e bonachão, Emerson foi bem recebido pelo grupo rubro-negro, que em sintonia com a torcida, o batizou carinhosamente de Sheik. Assim, em pouco tempo o jogador estava apto á estrear com a camisa rubro-negra. Como não poderia ser diferente, sua primeira partida aconteceu num clássico que se acostumara a assistir e vibrar - um Fla-Flu. Naquela ocasião entrou no jogo no segundo tempo e fez a massa rubro-negra vibrar aos 48 min quando empatou o jogo para o Flamengo.

Aos poucos, o Sheik foi conquistando espaço, respeito e admiração por parte dos rubro-negros, e se a sua situação já era confortável, e suas atuações admiráveis, elas ficaram ainda melhores após a chegada do Imperador Adriano no ínicio do Campeonato Brasileiro.

Ovacionado á cada partida, Emerson se tornou símbolo de raça, e chegou á ser chamado de "Alma do Time" por torcedores, o que de certa forma, aguçou novamente o interesse dos árabes, que incansavelmente, faziam propostas ao jogador, então decidido á ficar na Gávea á qualquer custo.

Por volta da 18ª rodada do Campeonato Brasileiro, porém, Emerson recebeu uma proposta irrecusável do Al-Ain, dos Emirados Árabes Unidos, e já tendia a sair do Fla, que também não via com maus olhos a sua negociação em virtude da multa empreendida, quando ouviu gritos efusivos de Fica Emerson! vindo das arquibancadas do Maracanã, o que acabou fazendo com que o jogador se emocionasse e repenssasse a sua situação.

Apesar de ter reafirmado o seu desejo de ficar na Gávea, o Al-Ain, incansável, continuou a ofensiva em busca do talento de Emerson, e mais uma vez esbarrou na resistência da diretoria rubro-negra, que via Emerson como um dos principais jogadores da equipe rubro-negra durante a temporada.

Entretanto, diante do desejo do próprio jogador, que via a proposta árabe como irrecusável ( algo em torno de R$ 17 milhões ), Emerson decidiu abandonar o sonho de continuar vestindo a camisa do Fla, depois de 26 jogos e 11 gols com o Manto Sagrado.

Depois do Flamengo

Logo após a sua chegada no Al-Ain, Emerson que passou a jogar com o chileno Valdívia, marcou dois gols no Al-Ahli, em Dubai e garantiu a conquista da Supercopa dos Emirados em 2009, nos pênaltis por 5x4, depois do empate arrancado no tempo normal graças aos seus gols no tempo normal.

Apesar da boa vida e do bom momento vivido nos Emirados Árabes Unidos, o Sheik desde a sua partida, demonstrou o interesse de retornar ao Brasil, dando preferência sempre ao time do coração - o Flamengo. Assim, ao fina da temporada 2009-2010 no país oriental, o jogador esteve próximo de retornar a Gávea, o que não aconteceu exclusivamente por um entrave financeiro.

Com muita vontade de retornar ao seu país natal, Emerson passou a negociar com outros clubes, e em Junho de 2010, durante a paralisação promovida pela Copa do Mundo da África do Sul, acabou assinando contrato com um dos maiores rivais do Flamengo, o Fluminense. Graças ás suas boas atuações foi um dos destaques do segundo título nacional conquistado pelo rival do Fla, no ano de 2010.

Apesar de ter escrito o nome na história do rival rubro-negro, o ano de 2011, seguinte á conquista do segundo Campeonato Brasileiro do time das Laranjeiras não foi dos melhores para o Sheik. Não bastasse uma contusão que lhe acompanhou nos primeiros jogos da temporada, o atleta acabou dispensado pela porta dos fundos do Fluminense depois de ter sido flagrado cantando o hit do Mengão Sem Freio, música então cantada por torcedores e jogadores do Mais Querido do Brasil.

Do Fluminense, Emerson acabou contratado pelo Corinthians e se sagrou tri-campeão brasileiro conquistando o campeonato nacional também pelo clube de São Paulo. Mas mais do que isso, o Sheik foi protagonista da conquista da primeira Taça Libertadores da história do Corinthians, marcando gol decisivo na final do campeonato de 2012 contra o Boca Juniors. Também no time paulista, conquistou o Mundial Interclubes sobre o Chelsea.

Usualmente tem seu nome cogitado em possíveis negociações envolvendo o Flamengo, todavia, até então nenhuma delas se concretizou efetivamente.

Em 2014, o atacante, que se diz flamenguista de coração, acertou o retorno ao Rio, desta vez para defender outro rival rubro-negro, o Botafogo. A passagem em General Severiano foi muito curta e polêmica. Apesar dos muito gols marcados com a camisa do Botafogo, a má-fase vivida pelo clube e a forte personalidade do Sheik foram decisivas para sua dispensa ainda antes do final do Campeonato Brasileiro. Voltou ao Corinthians para cumprir seus últimos sete meses de contrato, iniciou bem o ano, mas acabou não repetindo as boas atuações. Em maio, foi afastado e logo depois foi contratado pelo Flamengo.

Dados

Nome Completo: Márcio Passos de Albuquerque
Apelido: Sheik
Nascimento: 6 de Dezembro de 1978
Local: Nova Iguaçu - RJ
Altura: 1,71m
Peso: 75 kg

1° Jogo: 5 de Abril de 2009 (Flamengo 1 x 1 Fluminense)

Histórico

Anos Time
1996-1999 São Paulo
2000 Consadole Sapporo - Japão
2001 Kawasaki Frontale - Japão
2001-2005 Urawa Red Diamonds - Japão
2005-2007 Al-Sadd - Qatar
2007-2008 Rennes - França
2008-2009 Al-Sadd - Qatar
2009 Flamengo
2009-2010 Al-Ain - Emirados Árabes Unidos
2010-2011 Fluminense
2011-2014 Corinthians
2014 Botafogo
2015 Corinthians
2015 Flamengo
2008 Seleção do Qatar

Títulos

Flamengo

Trofeu brasileiro2.png Trofeu 1.jpg Trofeu R.png


Consadole Sapporo

  • Campeonato Japonês - Segunda Divisão: 2000

Urawa Red Diamonds

  • Copa do Japão: 2004
  • Copa do Imperador: 2005

Al-Sadd

Al-Ain

  • Supercopa dos Emirados Árabes Unidos: 2009

Fluminense

Corinthians

Prêmios

  • Artilheiro do Campeonato Japonês - 2004 (27 gols)
  • Melhor jogador do Campeonato Japonês - 2003
  • Melhor segundo-atacante do Campeonato Japonês - 2002, 2003, 2004
  • Melhor jogador da Liga do Qatar - 2006

Controvérsia

No dia 20 de janeiro de 2006, Emerson foi preso por agentes da Polícia Federal no Aeroporto Internacional Tom Jobim na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro quando tentava embarcar para os Emirados Árabes com documentos falsos. "Sua certidão de nascimento falsa, que foi usado para emitir o seu passaporte, diz que ele nasceu em 6 de setembro de 1981 em Nova Iguaçu com o nome Márcio Emerson Passos, mas sua certidão de nascimento original diz que ele nasceu em 6 de dezembro de 1978, com o nome Márcio Passos de Albuquerque".

Estatísticas

Ano Jogos Gols Marcados Assistências Cartão Amarelo Cartão Vermelho
2009 23(3) 11 3 7 0
2015 26 6 0 0 0
Total 52 17 3 7 0

Links Externos

Ver também

Ferramentas pessoais
Espaços nominais

Variantes
Ações
Navegação
Ferramentas