Ibson Barreto da Silva

De Flapédia
Ir para: navegação, pesquisa

Conteúdo

Biografia

Ibson

Ibson Barreto da Silva (Niterói - RJ, 7 de Novembro de 1983) é um meia lançado pelo Flamengo e que despontou, desde as suas primeiras partidas no time profissional, como uma das grandes revelações do Mais Querido do Brasil na década.

Certamente existe bem mais do que uma relação trabalhista entre Ibson e o Flamengo. Criado nas divisões de base do clube, o jogador que nunca escondeu a paixão pelo time que o revelou, é filho do ex-olheiro e também apaixonado pelo Fla, Laís Silva.

Chegado á Gávea em 1992, com apenas 9 anos de idade, Ibson assistiu a conquista do Campeonato Brasileiro daquele ano, e passou a rumar os trilhos seguidos por um dos seus ídolos, o mestre Júnior, haja vista que já nas divisões de base, assumiu a condição de habilidoso meio-campista.

Vivedor de dificuldades dentro do clube, que tem passado por dificuldades financeiras há muito tempo, Ibson resistiu aos problemas e esteve no clube encarando árduas situações. Em 2003, seu último passo na base, antes de se profissionalizar, foi faturar a Taça Belo Horizonte.

O fato é que 2003, era sim o ano de Ibson. Depois de levantar uma taça pelo time de juniores, o atleta estreou no time profissional num Clássico dos Milhões, e com vitória. A partir dalí, o jogador se transformaria num dos maestros daquele time e se projetaria absolutamente no ano de 2004, sob a batuta de Abel Braga.

Jogando ao lado de atletas como Zinho, Jean e Felipe, Ibson conquistou a Taça Guanabara e o Campeonato Carioca de 2004, além de ter sido vice-campeão da Copa do Brasil. Seu talento era clarevidente, o que fez abrir os olhos dos clube Europeus, de forma que ainda ao fim do ano, o jogador já havia se transferido para o velho continente, mais especificamente para o Porto de Portugal.

Em terras lusitanas, Ibson se sagrou bicampeão português pelo Porto, nas temporadas 2005/2006 e 2006/2007. Mas a saudade falou mais alto e ainda em 2007, o jogador estava de volta ao Flamengo.

Ibson, o "jogador-torcedor".

A segunda passagem de Ibson pelo Fla, se deu em circustâncias de verdadeira declaração de amor. O atleta mesmo sendo pretendido por outros clubes, preferiu ajudar ao Flamengo que vivia uma situação dificílima, correndo inclusive risco de ser rebaixado para a segunda divisão. Contudo, a experiência unida a dedicação em campo, fizeram com que aquele time protagonizasse uma das mais emocionantes arrancadas já vistas e classificasse o time para a Taça Libertadores da América do ano seguinte.

Já em 2008, depois de conseguir o seu bicampeonato Carioca, Ibson viu o Flamengo ser eliminado traumaticamente da Taça Libertadores. Apostando todas as fichas no Campeonato Brasileiro, outro revés poderia tê-lo acompanhado, uma vez que seu contrato estava prestes a vencer e o Flamengo provavelmente não conseguiria renová-lo. No entanto, graças a uma arquitetura da diretoria, o jogador foi mantido e lutou até o fim do certame nacional por uma vaga na Taça Libertadores da América de 2009. Foi ainda no meio daquela temporada, que Ibson se tornou um dos dez maiores artilheiros do clube em Campeonatos Brasileiros.

Campeão Carioca de 2009, o volante foi em mais um certame, uma das principais peças do Fla. Ao fim da disputa estadual, entretanto, o atleta passou a conviver mais uma vez com o fantasma do fim do contrato. O problema é que a diretoria do Fla, capitaneada por Kléber Leite, havia conseguido apenas postergar o contrato do jogador que se encerraria em Julho de 2009.

Depois de esforços que foram classificados de "Herculeos" pela cúpula rubro-negra, o Flamengo apresentou ao Porto, então detentor dos direitos federativos de Ibson, uma proposta que girava em torno de R$ 9 mi. O clube português, porém, recusou, e Ibson fez sua última partida na sua segunda passagem pelo Fla, contra o Vitória BA no dia 4 de Julho, passando então a figurar na lista dos atletas que contribuiram para a conquista do Hexa Brasileiro. Na ocasião específica da partida contra o Vitória, apesar de ter perdido um pênalti, o jogador foi ovacionado pela Maior torcida do Brasil.

Quando saiu do Fla, de coração partido, o jogador acertou um contrato com o Spartak Moscou da Rússia. Os valores oferecidos pelo clube europeu, é bem verdade, giraram em torno de, pelo menos, R$ 6 milhões a mais. Segundo a mídia especializada Ibson foi contratado pelo Spartak por € 5 milhões (cerca de R$ 13 milhões). Na Rússia, Ibson jogou de 2009 até 2011.

De volta ao Brasil Ibson foi contratado pelo Santos, que na época era a sensação do futebol nacional graças a habilidade de Neymar e Ganso. Pelo clube paulista, Ibson disputou o Mundial Interclubes de 2011 contra o Barcelona, mas acabou amargando uma vergonhosa derrota para o time catalão.

Em 2012, a diretoria do Flamengo mostrou interesse em contar novamente com o futebol de Ibson e o jogador aceitou voltar, mesmo defendendo o melhor time do Brasil na época. Para o Santos, o Rubro-negro enviou como moeda de troca Galhardo e David Braz. O jogador voltou ao clube de origem, mas não obteve o sucesso das passagens anteriores. O meia não conseguiu encaixar uma sequência de boas atuações e começou a ser questionado pela torcida. No início de 2013, com a nova diretoria, uma política de redução de custos incluía a redução de salários e a sua saída foi cogitada. Após troca de declarações pela imprensa, a rescisão foi sacramentada em maio nessa terceira passagem de Ibson pela Gávea. Poucos dias depois ele acertou com o Corinthians.

A passagem de Ibson pelo Corinthians, no entanto, passou ao largo de ser bem sucedida ou tranquila. Rejeitado pela torcida do time paulista, Ibson não conseguiu a almejada titularidade e desempenhou um futebol irreconhecível. No ano de 2014, após atuar nas primeiras partidas do clube do Parque São Jorge, sob o comando do ex-flamenguista Mano Menezes, Ibson rescindiu e seguiu para o Bologna da Itália.

Retornou ao Brasil ainda em 2014 para defender o Sport, junto com o também ex-rubro-negro Diego Souza. Na apresentação, a direção do clube pernambucano consignou que a ida dos atletas para o Recife fazia parte também de uma estratégia de marketing contra o Flamengo, razão pela qual Diego Souza vestiria inclusive a camisa de nº 87, alusiva ao ano em que o Sport considera ter sido Campeão Brasileiro. A estratégia não teve sucesso, e Ibson fez um Campeonato Brasileiro apagado, deixando o clube pernambucano ainda no fim de 2014. Retornou para o dono de seu passe, o Bologna, tendo o contrato rescindido em fevereiro de 2015.

Dados

Nome Completo: Ibson Barreto da Silva
Data do Nascimento: 7 de Novembro de 1983
Cidade: Niterói - RJ
Posição: Volante / Meia
Altura: 1,77 m
Peso: 74 Kg

Nº de Jogos: 232
Nº de Gols: 35

1° Jogo: 15 de Junho de 2003 (Flamengo 2 x 1 Vasco da Gama)

Histórico

Anos Time
1992-2005 Flamengo
2005-2007 Porto - Portugal
2007-2009 Flamengo
2009-2011 Spartak Moscou - Rússia
2011-2012 Santos
2012-2013 Flamengo
2013-2014 Corinthians
2014 Bologna - Itália
2014 Sport
2015 Bologna - Itália
2015 Minnesota United - EUA

Títulos

Flamengo

Trofeu brasileiro2.png Trofeu 1.jpg Trofeu 1.jpg Trofeu 1.jpg Trofeu G.png Trofeu G.png Trofeu R.png


Porto

  • Campeonato Português: 2006, 2007
  • Taça de Portugal: 2006
  • Supertaça de Portugal: 2006

Santos

  • Campeonato Paulista: 2012

Corinthians

Prêmios

Estatísticas

Ano Jogos Gols Marcados Assistências Cartão Amarelo Cartão Vermelho
2003 9 0 - - -
2004 66 10 - - -
2005 3 1 - 0 0
2007 22 6 1 3 0
2008 54 15 10 10 0
2009 32 1 11 9 1
2012 30(4) 1 0 0 0
2013 11(1) 1 0 0 0
Total 232 35 22 22 1

Links Externos

Ver também

Ferramentas pessoais
Espaços nominais

Variantes
Ações
Navegação
Ferramentas