Flapédia:Princípio da imparcialidade

De Flapédia
Ir para: navegação, pesquisa

O princípio da imparcialidade é um princípio adotado pela Flapédia para lidar com assuntos controversos. Segundo este princípio, os artigos da Flapédia devem ser imparciais, ou seja, devem ser escritos numa forma com a qual ambos (ou todos) os lados envolvidos possam concordar com ele. Por exemplo, ao lidar com temas como Torcidas Organizadas, o artigo deve estar escrito de forma a que sócios da torcida em questão, membros de outras facções de torcidas organizadas e torcedores que não são vinculados a nenhuma torcida organizada possam aceitá-lo.

Conteúdo

Sobre o princípio da imparcialidade

Os artigos da Flapédia devem representar as diferentes visões sobre um assunto, incluindo-as e definindo claramente onde há conflitos e quais são os lados da disputa. Isto significa que:

  • os fatos devem ser apresentados como tais;
  • nenhum artigo pode conter referências a opiniões sem que primeiro sejam apresentados fatos incontestáveis;
  • as opiniões devem ser apresentadas como tal, ou seja, uma opinião deve ser classificada como opinião e deve ser atribuída;
  • nos temas controversos, devem ser, sempre que possível, apresentados os pontos de vista de todos os campos em disputa.

Evitar

Em artigos religiosos

Todas as pessoas são muito sensíveis em relação à sua própria religião, o que habitualmente significa que este tema trata mais de crenças que propriamente de conhecimentos específicos, e já que todos gostam que as suas crenças individuais sejam respeitadas, todo cuidado é pouco quando se trata da religião alheia.

Assim, deve haver um cuidado redobrado em artigos relacionados a religião. Não deve haver nenhum tipo de adjetivação pejorativa ou preconceito relacionados tanto à religião em questão como a seus praticantes. Os artigos de uma determinada religião devem limitar-se apenas aos fatos relacionados com essa religião.

Adjetivos

Os adjetivos contribuem para tornar um artigo mais parcial porque muitas vezes implicam uma qualificação subjetiva.

Por exemplo, a palavra demagógica no texto seguinte:

Uma propaganda demagógica, que explorava habilmente essas frustrações, permitiu aos nazistas implantarem-se na classe média e entre os operários.

torna-o parcial porque os próprios nazistas poderiam não reconhecer que a sua propaganda era demagógica. Já para não falar das pessoas que foram convencidas pelos nazistas, que certamente não achavam aquela propaganda demagógica. Se a achassem, poderiam ter rejeitado as idéias nazistas. Para além disso, o texto sugere que o sucesso dos nazistas se deve essencialmente à demagogia, o que pode não ser consensual entre os historiadores.

Aquela frase pode ser transformada numa frase mais imparcial de várias formas:

  1. atribuir aquele ponto de vista a alguém: Os (ou alguns, ou a maioria) historiadores consideram que uma propaganda demagógica, que explorava habilmente essas frustrações, permitiu aos nazistas implantarem-se na classe média e entre os operários.
  2. descrever a propaganda nazista sem a classificar. Isto é, expor os argumentos dos nazistas e contrastar esses argumentos com outros factos incontestáveis. Claro que esta solução é muito mais difícil de implementar porque é necessário um conhecimento preciso da propaganda nazista.
Ferramentas pessoais
Espaços nominais

Variantes
Ações
Navegação
Ferramentas