Flamengo x Brasília - Final do Campeonato Nacional de 2008

De Flapédia
Ir para: navegação, pesquisa
Comemoração da Torcida

Conteúdo

História

Foi um título incontestável. De 31 partidas disputadas pelo Nacional, o Flamengo venceu 28 delas, e nos playoffs o rubro-negro venceu as 9 partidas decisivas. O título que veio tarde diante da gigante tradição do basquete do Flamengo foi conquistado com muito suor e após alguns anos de crise o basquete rubro-negro vinha evoluindo ano a ano, e tudo culminou neste título inédito.

Nas partidas finais, o Flamengo tinha a vantagem de jogar três partidas e duas fora. Nas duas primeiras partidas no Rio, o rubro-negro venceu com alguma facilidade, no primeiro jogo chegou a abrir 40 pontos de diferença, mas o placar final foi de 93 a 66. Já a segunda partida também disputada no Maracanazinho, foi um pouco mais disputada mas o Brasília não conseguiu fazer frente ao Flamengo, que venceu por 91 a 76.

O Jogo

Universo x Flamengo 1º quarto 2º quarto 3º quarto 4º quarto Jogo
Placar 28x23 18x19 21x20 29x39 96x101

Ao Flamengo bastava uma vitória para a conquista do título. Para o Universo Brasília a vitória era a única opção para que se pudesse sonhar com o bicampeonato.

O jogo mais disputado das finais até então, foi em Brasília e a torcida do Flamengo fez uma festa incrível na casa do adversário, compareceu em peso e dividiu o estádio com a torcida da casa.

O Brasília ficou na frente a maioria do tempo, mas na hora decisivia o time rubro-negro cresceu junto com a torcida, e passou a frente vencendo a partida por 101 a 96, conquistando um título inédito na história do clube.


Texto Globoesporte.com


Em uma partida explosiva, dentro e fora de quadra, o Flamengo derrotou o Brasília por 101 a 96 e conquistou pela primeira vez o Nacional masculino de basquete. A terceira e última partida da série final foi disputada nesta terça-feira, no ginásio do Brasília, na capital federal. Como já é hábito, o rubro-negro Marcelinho foi o cestinha da partida. Porém, com a expressiva marca de 40 pontos e 100% de aproveitamento nos 21 lances livres.

Com o ginásio tomado pela torcida do Flamengo, o Brasília começou bem a partida, ao contrário do dois primeiros jogos, marcando bem e jogando com vibração. Com uma enterrada de Duda, o time carioca mostrou que estava ligado, recuperou uma desvantagem de quatro pontos e empatou em 12 a 12. Marcelinho era bem marcado e demorou cerca de cinco minutos para marcar seus primeiros pontos, em lances livres. Valtinho comandava o Brasília, que terminou o quarto vencendo por 28 a 23.

A reação carioca continuou no segundo quarto. Com sua primeira cesta de três, Marcelinho virou o placar para o Flamengo: 30 a 28. Porém, com a terceira falta, o armador foi para o banco. A partida seguiu bastante disputada. Com a raça de Valtinho e a experiência de Ratto, o Brasília terminou o segundo quarto com 46 a 42.

Na ausência de Marcelinho, o Flamengo era comandado por Duda, que em um arremesso de três virou o placar para 50 a 49. O rendimento rubro-negro, porém, caiu e as bolas de três passaram a cair mais para o Brasília, principalmente com Arthur. O time da casa fechou o quarto vencendo por 67 a 62.

A partida ficou literalmente explosiva. Após a quarta vez em que uma bomba estourou, o técnico Lula Ferreira, do Brasília, pediu providências para a polícia. A arbitragem anunciou que uma nova bomba seria revertida em falta técnica contra o Flamengo. O início último quarto sofreu um atraso de cerca de 15 minutos até a bola voltar a quicar em quadra.

O longo intervalo parece ter beneficiado o Brasília, que voltou em alta velocidade. Com uma cesta de três pontos de Cipriano, o time da casa chegou à maior vantagem no placar: 76 a 67. Foi neste momento em que Marcelinho chamou a responsabilidade para si e comandou a reação rubro-negra, com 10 pontos seguidos e a virada no placar: 77 a 76 faltando cinco minutos.

O placar foi se alternando quando Ratto cometeu uma falta técnica boba e permitiu que o Flamengo abrisse uma vantagem de três pontos após uma enterrada de Coloneze. No ataque seguinte do Brasília, o pivô rubro-negro sofreu um pisão de Spillers e o tempo fechou. Os dois acabaram desqualificados da partida.

Faltando 52 segundos, uma cesta de três de Marcelinho deixou o Flamengo sete pontos à frente, a maior vantagem da equipe em toda a partida: 93 a 86. A torcida, porém, soltou a quinta bomba e quase comprometeu uma vitória praticamente definida. O Brasília ganhou uma falta técnica e com dois lances livres convertidos e uma cesta de três, encostou no placar faltando 11 segundos: 99 a 96. Com falta a favor, o rubro-negro fez mais dois pontos e sacramentou a vitória.


Texto Globoesporte.com

Estatísticas

Flamengo Titulares Banco
Pontos 91 (90%) 10 (10%)


Jogador Minutos Pontos 3 Pontos 2 Pontos Lances Livres Assistências Rebotes Bloqueios Erros Faltas Enterradas
Marcelinho 29:20 40 5 2 21 1 5 0 2 4 0
Hélio 33:26 13 1 4 2 2 0 0 1 3 0
Wágner 17:32 3 0 1 1 0 4 1 0 2 0
Fernando 18:55 2 0 1 0 1 1 0 2 4 0
Fred 8:27 5 1 1 0 1 1 0 2 0 0
Duda 38:07 22 3 5 3 1 5 0 0 3 1
Coloneze 23:30 11 0 3 5 0 3 0 2 4 1
Alírio 30:43 5 1 1 0 1 4 4 2 5 0
Time 101 11 18 32 7 23 5 11 27 2

Os 3 pontos, 2 pontos e Lances Livres, são apenas os convertidos

Vídeo

Momentos finais do último jogo da decisão e um pouco do pós-jogo.

{{#ev:youtube|QTM7l72hK4Y}}

Ficha Técnica

UNIVERSO/BRASÍLIA 96 x 101 FLAMENGO
3º Jogo da Final do Campeonato Nacional 2008

Local: Ginásio da ASCEB, Brasília (DF)
Data: 03/06/2008
Horário: 20:00
Árbitros: José C. Pelissari (MG), Cristiano Maranho (SC) e Fernando Serpa (RS)
Mesa: Mariana Campos (DF)
Cestinha: Marcelinho, com 40 pontos

FLAMENGO: Marcelinho (40), Duda (22), Hélio (13), Wágner (3), Fernando Mineiro (2), Fred (5), Coloneze (11) e Alírio (5) - Técnico: Paulo Chupeta.

UNIVERSO/BRASÍLIA: Ratto (17), Arthur (20), Estevam (7), Valtinho (17), Charles (2), Enéias (), Spillers (13), Rossi (3), Cipriano (14) e Luís (3) - Técnico: Lula Ferreira

Ligações Externas

Ver também

Ferramentas pessoais
Espaços nominais

Variantes
Ações
Navegação
Ferramentas