Flamengo 3x2 Fluminense - Final da Taça Guanabara de 2004

De Flapédia
Ir para: navegação, pesquisa

Conteúdo

História

Técnico Abel Braga abraça o craque Felipe

Em pleno sábado de Carnaval, Flamengo e Fluminense entrariam em campo, e não na avenida. Para decidir a Taça Guanabara, e não para desfilar. Mas a partida se assemelhou muito ao show das escolas de samba do Rio de Janeiro. Impressionante. Imprevisível. Emocionante. Espetacular. Assim como o primeiro confronto entre as duas equipes naquele ano, em que houve duas viradas no placar, e o jogo terminou em 4x3 para o Flamengo. Nesta decisão, o placar foi diferente, mas no final, deu Mengão do mesmo jeito. Com uma vitória de 3x2, o Rubro-Negro faturou mais uma Taça GB para sua galeria de troféus.

O Fla chegou à Final da Taça Guanabara de 2004 embalado após bater o arqui-rival Vasco da Gama, com facilidade, por 2x0, na semi-final, com show do maestro da equipe, o ex-vascaíno Felipe. Antes disso, o Rubro-Negro havia perdido apenas uma partida, na fase de classificação. Para o América, por 4x3.

Na decisão, a equipe de Abel Braga enfrentaria o Fluminense, adversário do até então melhor jogo da competição, já citado acima. Naquele jogo, o herói foi o lateral-esquerdo Roger. E esta foi uma das coisas que se repetiram na decisão. Além de ser um novo Fla x Flu, além de ser emocionante, imprevisível, e um jogão, contou com a estrela de Roger, que tem como sobrenome "Guerreiro", palavra que define bem seu espírito de jogo. Assim como "Carrasco". Pelo menos, para os tricolores.

Com um gol impressionante, que palavras não têm como descrever, o lateral marcou o terceiro gol do Flamengo na partida, e fechou o caixão do Fluminense, garantindo a ida do troféu da Taça Guanabara daquele ano para a Gávea.

O Jogo

Jean comemora seu gol, o segundo do Fla

Em um duelo de cores no Maracanã, o vermelho e o preto eram maioria em relação aos grenás verdes e brancos nas arquibancadas do Maior do Mundo. As fantasias eram diversas. As baterias das torcidas organizadas davam um show, tudo em um clima de muita harmonia. Mas o que decidiria o título daquele sábado de Carnaval seria a evolução dos atletas em campo.

Flamengo e Fluminense haviam protagonizado um grande clássico durante a fase de classificação, e a expectativa para a decisão não poderia ser outra: seria um jogão. E, de fato, foi. Os Rubro-Negros abriram o placar aos 34 minutos do primeiro tempo. Zinho cobrou falta com perfeição, na cabeça do zagueiro Fabiano Eller, que desviou na saída do goleiro tricolor Kléber. Era o segundo gol dele na competição.

Com os meias Zinho e Felipe ditando o ritmo do jogo na primeira etapa, o Fla segurou o resultado, e foi para os vestiários com a vantagem no placar. O Flu, por sua vez, precisava encontrar motivação para o segundo tempo. Mas, todos sabiam de uma coisa: nada estava definido.

O momento do chute de Roger que dá o título ao Fla

E a segunda etapa veio para provar isso. Aos 20 minutos, o zagueiro tricolor Antônio Carlos empatou o jogo, para delírio da massa tricolor no Maracanã. No entanto, a festa em grená branco e verde pouco durou. Logo na saída de bola do Flamengo, após o gol, o lateral-direito Rafael fez boa jogada pela ponta, e cruzou para o atacante rubro-negro Jean apenas empurrar, de carrinho, para o fundo das redes: Fla 2x1 Flu.

Nega-se, no entanto, quem pensa que as emoções pararam por aí. Pelo contrário. Aos 25 minutos do segundo tempo, a defesa rubro-negra se atrapalhou, e o zagueiro Henrique acabou marcando gol contra, e empatando o jogo para o Fluminense. O resultado levaria a partida para os pênaltis, que seriam justos e davam a impressão de ser mesmo o destino final daquela decisão.

Impressão que foi desfeita cinco minutos depois, em um lance incrível. Um passe milimétrico de Ibson deixou o iluminado Roger no meio de dois zagueiros tricolores e frente a frente com o goleiro Kléber, dentro da área. As chances de que ele conseguisse finalizar eram mínimas. Mas com um toquinho sutil, quase que de costas, o lateral-artilheiro fez a bola ir mansa para o fundo das redes. Flamengo 3x2 Fluminense e o título da Taça Guanabara assegurado.

Uma explosão de alegria se viu nas arquibancadas do lado esquerdo das cabines de televisão. Em ritmo de Carnaval, a torcida rubro-negra deu show. "Levantou poeira", "contagiu e sacudiu a cidade", e comemorou mais uma conquista do Flamengo, que viria a se sagrar campeão estadual daquele ano.

Vídeo

{{#ev:youtube|SOdIGdK5pDg}}

Ficha Técnica

Pôster dos Campeões - Jornal LANCE!

FLUMINENSE 2 x 3 FLAMENGO
Final da Taça Guanabara 2004

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data: 21/02/2004
Árbitro: Luís Antônio S. Ramos (RJ)
Público: Público: 76.000 pagantes

Advertências: Rafael, Henrique e Felipe (FLA), Marcão e Rodolfo (FLU)
Gols: Fabiano Eller (FLA) 34' do 1º; Antônio Carlos (FLU) 20', Jean (FLA) 21', Henrique (FLA-contra) 25' e Roger (FLA) 30' do 2º;

FLAMENGO: Júlio César, Rafael, Henrique, Fabiano Eller e Roger; Róbson, Ibson (Anderson Luiz), Felipe e Zinho; Jean (Rafael Gaúcho) e Diogo (Andrézinho). Técnico: Abel Braga.

Ver também

Ferramentas pessoais
Espaços nominais

Variantes
Ações
Navegação
Ferramentas