Flamengo 2x2 Seleção do Mundo - Amistoso - 1990

De Flapédia
Ir para: navegação, pesquisa

Conteúdo

História

Placar do Maracanã

Zico subiu as escadas que dão acesso ao gramado do Templo do Futebol às 21h25. Surpreendendo a todos, partiu do vestiário destinado aos árbitros, no lado oposto ao dos times. Todos os atletas estavam perfilados. O estádio ficou à meia luz e um show de raio laser cruzou o campo projetando desenhos na arquibancada, de onde a torcida acenava com 40 mil lenços brancos.

Era a sua última vez no Maraca como jogador do Flamengo. Um dia especial para os torcedores, para o próprio Galinho e para todos os amantes do futebol, mesmo os não-flamenguistas. Em um amistoso entre o time da Gávea e grandes estrelas internacionais, o Camisa 10 realizou sua despedida do futebol brasileiro, diante do Maior do Mundo lotado. O resultado de 2x2 foi o que menos importou. Valeu a festa do Galinho, que apesar de se sentir indisposto no final da partida, logo melhorou, e recebeu convidados em um jantar no Hotel Rio Palace (hoje chamado Sofitel), em Copacabana.

Às 16h do dia seguinte já estava de pé, no Largo da Carioca para entregar um cheque com o valor da renda do jogo (NCz$ 3.958.000, aproximadamente US$ 100 mil) à Casa do Hemofílico para a construção de um hospital, que foi erguido na Rua Conde de Bonfim, 764, no bairro da Tijuca, no Rio. Zico dava seu adeus definitivo como jogador do Flamengo, após uma trajetória de muitas glórias. Contudo, voltaria ainda a encher os olhos com seu talento nos gramados, porém, do outro lado do mundo, no Japão.

O Jogo

A despedida de Zico não poderia ser uma partida comum. O jogo foi dividido em dois. Nos primeiros 45 minutos, uma homenagem ao Flamengo que conquistou o mundo, desde a formação do time ao uniforme branco, o mesmo que foi usado no título em Tóquio. O time de 1981, comandado por Paulo César Carpeggiani, jogou desfalcado dos zagueiros Figueiredo, que faleceu num acidente, e Mozer, que não pôde comparecer. Do outro lado estava um combinado de estrelas do futebol mundial.

Zico tenta marcar, mas Taffarel impede

Os craques alemães Breitner, Krol e Rummenigge eram alguns dos destaques da World Cup Master I, que contava ainda com os italianos Gentile e Causio; o argentino Mario Kempes, além de Valdano e Hansi Muller. Falcão, Edinho e Roberto Dinamite deram o toque brasileiro ao time, que tinha no gol o promissor goleiro Taffarel do Internacional, que foi o nome do jogo.

No segundo tempo, entrou em campo o Flamengo de 1990, que tinha Leandro e Júnior, da velha geração de ouro, ao lado de novas promessas, como Júnior Baiano, Leonardo, Zinho e Renato Gaúcho. O World Cup Master II também tinha novidades. Entraram Gerets, Tarantini, Madjer, Camacho, Messey, Cláudio Adão e Bebeto. Taffarel levou dois gols, mas fez duas defesas milagrosas em chutes de Zico e chegou a pedir desculpas ao dono da festa, que acabou passando em branco.

O jogo terminou empatado em 2 a 2. O primeiro gol saiu aos 8 minutos, num lançamento do Galinho para o zagueiro Fernando, que ficou livre na frente de Taffarel e não perdoou. Bebeto apareceu logo depois para ser um dos destaques do World Cup Máster II, dando os passes para os gols de Cláudio Adão (12´) e Tarantini (34´). O lateral-esquerdo Leonardo empatou o jogo para o Flamengo aos 35 minutos, dando números finais à partida.

Aos 43 minutos, precisamente às 23h23, o árbitro Wilson Carlos dos Santos parou o jogo. Zico deu a volta olímpica escoltado por um coro emocionado de "Tá Chegando a Hora". Na lateral do campo, repetiu o gesto simbólico de Carlinhos em 1970 e entregou suas chuteiras a Pintinho, artilheiro do infantil e apontado pelos dirigentes do Flamengo como a grande promessa. No centro do campo, duzentas crianças de um colégio do bairro de Quintino. O craque fez um discurso de agradecimento destacando as alegrias vividas na carreira e, às 23h35 se despediu dos quase 90 mil torcedores presentes ao Maracanã.

Curiosidades

Bandeira da torcida Urubuzada em homenagem a Zico - 2007

Engarrafamentos – Por volta das 17h, o trânsito nas imediações do Maracanã já era intenso naquela terça-feira, antecipando os habituais engarrafamentos na Praça da Bandeira, Radial Oeste e Avenida Maracanã.

Doação - Zico inaugurou a agência da Caixa Econômica no Largo da Carioca depositando a renda do jogo na conta da Casa do Hemofílico, a conta número um.

Apresentação – O astro alemão Rummenigge foi o estrangeiro mais aplaudido pela torcida que lotou o Maracanã. Bebeto e Roberto Dinamite, do Vasco, foram vaiados.

Homenagem - A torcida homenageou os dois campeões de 81 que não puderam participar da festa. Mozer, que estava atuando em Portugal; e Figueiredo, morto num acidente.

Imprensa - O jogo foi transmitido ao vivo para todo o Brasil, inclusive para o Rio. Quatorze países acompanharam em vídeo teipe: parte da América do Sul, Itália, Japão e EUA. Mais de 100 jornalistas estrangeiros foram credenciados para a cobertura. A maioria da Itália. O jornalista Arlérico Jácome cuidou da organização da imprensa.

Cachê - Todos os atletas abriram mão de cachê e receberam um brinde da festa: uma bolsa do Projeto Zico, azul, com as inscrições ‘’World Soccer, Rio de Janeiro, Despedida do Zico’’. Dentro da bolsa havia material esportivo e dois relógios Piaget.

Desfalques - O francês Michel Platini esqueceu de pegar o visto e não pôde viajar, impedido quando estava no aeroporto de Orly. O goleiro Fillol não foi liberado por seu clube, o Vélez Sarsfield, assim como Maradona em relação ao Napoli.

Árbitro - Ao ser convidado para apitar o jogo, Arnaldo Cezar fez uma exigência. Disse que só aceitaria se recebesse a camisa de Zico no final. O Galinho propôs uma inédita troca. Trato feito. No final do primeiro tempo, em que Zico atuou pelo Flamengo de 1981, os dois trocaram as camisas.

Ingressos - Um ingresso de Geral custou NCz$ 10,00. As arquibancadas foram vendidas por NCz$ 40,00; Cadeira Azul, NCz$ 60,00; Cadeira Especial, NCz$1.000,00 e o Camarote saiu por NCz$ 4.000,00.

Ficha Técnica

Ingresso da partida histórica

C.R. Flamengo 2 x 2 World Cup Masters
Amistoso de Despedida do Zico

Data: 06/02/1990
Local: Maracanã - Rio de Janeiro
Árbitros: Wilson Carlos dos Santos, Jorge Emiliano e Arnaldo Cezar Coelho
Público: 89.622 espectadores
Renda: NCZ$ 3.958,600,00

Gols: Fernando (FLA) - 8'/2ºT, Cláudio Adão (WCM) - 12'/2ºT, Tarantini (WCM) - 34'/2ºT e Leonardo (FLA) - 35'/2ºT

Flamengo de 1981: Raul (Cantarelli), Nei Dias, Leandro, Marinho, Júnior, Andrade, Tita, Adílio, Zico, Nunes e Lico.

World Cup Masters 1: Taffarel, Gentile, Edinho, Krol e Breitner; Falcão, Causio e Mario Kempes; Valdano (Hansi Muller), Roberto Dinamite e Rummenigge. Técnicos: Sebastião Lazaroni, Telê Santana, Edu Coimbra e Carlos Alberto Torres.

Flamengo de 1990: Zé Carlos, Leandro (Júnior Baiano), Fernando, Júnior (Luís Carlos), Leonardo, Renato, Edu, Aílton, Zico, Bujica e Zinho.

World Cup Masters 2: Taffarel, Gerets, Camacho, Edinho e Tarantini; Madjer, Hansi Muller e Mário Kempes; Messey, Claudio Adão e Bebeto. Técnicos: Sebastião Lazaroni, Telê Santana, Edu Coimbra e Carlos Alberto Torres.

Fonte

Zico Na Rede - www.ziconarede.com.br

Ferramentas pessoais
Espaços nominais

Variantes
Ações
Navegação
Ferramentas