Flamengo 2x2 Botafogo - Final do Campeonato Brasileiro de 1992

De Flapédia
Ir para: navegação, pesquisa

Conteúdo

História

Revista Placar especial do Penta

O Campeonato Brasileiro de 1992 foi uma conquista particular para o futebol carioca. Flamengo e Botafogo chegaram à final e mostraram porque o Rio de Janeiro dominava a cena do esporte naquele ano. O Flamengo apresentou uma campanha regular, mas longe do brilhantismo. O time era praticamente formado por jogadores revelados na Gávea, incluindo alguns que ainda estão em atividade, como Júnior Baiano, Zinho e Marcelinho Carioca.

Embalado, o Flamengo, comandado pelo Maestro Júnior, venceu o Botafogo na primeira partida decisão por 3x0, praticamente já garantindo o pentacampeonato. No domingo seguinte, entrou com uma grande vantagem para a finalíssima. Jogando com o regulamento debaixo do braço, o Fla ainda assim jogou muito bem, abriu 2x0, mas deois permitiu o empate dos botafoguenses, em 2x2, resultado final do jogo e que deu o título à equipe da Gávea.

Porém, nem tudo foi festa naquele 19/07/92. Durante o jogo preliminar, uma grade da arquibancada do Maracanã cedeu, provocando a queda de centenas de pessoas para o anel inferior, e a morte de 3 torcedores. A partir daí o estádio foi reformado e nunca mais recebeu um público tão grande.

O Jogo

Júnior comemora seu gol na decisão

O Flamengo só precisou de um tempo na primeira partida da decisão para garantir o título. Depois de um corta-luz de Gaúcho, o "Vovô Garoto" Júnior chutou de fora da área pra fazer 1x0. O segundo não demorou muito para sair. Lançado por Fabinho, Nélio toca entre as pernas de Ricardo Cruz. O terceiro viria com Gaúcho, de cabeça, após um cruzamento perfeito de Piá. Depois foi só tocar a bola no segundo tempo e garantir o resultado.

Com essa imensa vantagem conquistada na primeira partida da final, o Rubro-Negro chegou ao Maracanã no dia 19 de julho de 1992 com uma missão praticamente cumprida. Mas, quem disse que isso mudaria alguma coisa? O Flamengo parecia ter ignorado o adversário e o fato de ter uma grande vantagem. Em mais uma grande partida de Júnior, o time da Gávea logo abriu 2 a 0. O primeiro gol foi justamente do Maestro, no final da primeira etapa, aos 42 minutos, de falta.

No segundo tempo, o panorama não se modificou. Mesmo com a vantagem, o Fla pressionava, e jogava muito melhor. Tanto que logo aos dez minutos, marcou o segundo gol. Foi a vez do ala Julio César, o Uri Geller, balançar as redes do Maraca. À partir daí, foi só festa na arquibancada rubro-negra. Nem os gols de Pichetti, aos 38' e Valdir aos 43', empatando o jogo para o Bota, desanimaram os flamenguistas. Afinal, era a quinta vez que a equipe conquistava o Campeonato Brasileiro.

Foi um prêmio ao melhor time do ano. Um time que provou que sentia sim saudades de Zico, mas era apenas isso. Comandado pelo já experiente Júnior, a nova geração, que contava com Djalminha, Gaúcho, Zinho e outros futuros craques, o Flamengo se livrou das expectativas de que seria dependente do Galinho, e sagrou-se o melhor time do Brasil em 1992.

Vídeo

{{#ev:youtube|FYKFofRUoIc}}

Ficha Técnica

Os pentacampeões brasileiros

19/07/1992 - Maracanã - Rio
Flamengo 2x2 Botafogo

Público: 122.001
Renda: Cr$ 1.936.000,00
Juiz: José Roberto Wright

Gols: Pichetti 38 do 2º e Valdir 43 do 2º (B) e Junior 42 do 1º e Julio César 10 do 2º (F)
Expulsões: Renê e Wilson Gottardo (B)

Flamengo: Gilmar; Charles Guerreiro, Gelson, Wilson Gottardo e Fabinho (Mauro); Uidemar, Júnior e Zinho; Julio César, Gaúcho (Djalminha) e Piá. Técnico: Carlinhos

Botafogo: Ricardo Cruz; Odemilson, Renê, Marcio Santos e Válber; Carlos Alberto Santos, Pingo e Carlos Alberto Dias; Vivinho (Jéferson Gaúcho), Chicão (Pichetti) e Valdeir. Técnico: Gil.

Ferramentas pessoais
Espaços nominais

Variantes
Ações
Navegação
Ferramentas